Translate

quinta-feira, 28 de março de 2013

John Grimek (1910-1998)


No final da década de 1930, uma revolução na cultura física parecia explodir  no ocidente. Entretanto, a Segunda Guerra Mundial fez com que esta revolução fosse adiada até o fim dos combates. Se a 2ª Guerra nunca tivesse acontecido, a moda da cultura física, que ocorreu na América e em certa medida na Europa, teria chegado uma década antes. Mesmo assim, a cultura física tornou-se popular durante os anos de guerra e exercícios de treinamento físico eram comuns nas forças armadas de ambos os lados do Atlântico.

No final da década de 1930, uma revolução na cultura física parecia explodir  no ocidente. Entretanto, a Segunda Guerra Mundial fez com que esta revolução fosse adiada até o fim dos combates. Se a 2ª Guerra nunca tivesse acontecido, a moda da cultura física, que ocorreu na América e em certa medida na Europa, teria chegado uma década antes. Mesmo assim, a cultura física tornou-se popular durante os anos de guerra e exercícios de treinamento físico eram comuns nas forças armadas de ambos os lados do Atlântico.

Era frequente a improvisação para treinar durante uma época de escassez de material, sendo improvisados objetos para substituir barras e anilhas. Por exemplo, no Havaí durante a guerra, instrutores físicos improvisavam conchas pesadas para substituir os halteres. Além disso, o futuro campeão de fisiculturismo norteamericano Steve Reeves, quando em serviço no Pacífico, junto com seus camaradas produziram pesos improvisados para treinar nas selvas quentes do Pacífico Sul e muitos objetos, como eixos de vagão, serviram de substitutos para os pesos tradicionais. Soldados, marinheiros e voluntários de guarda da Grã-Bretanha utilizavam-se de exercícios de ginástica calistênica desenvolvidos 150 anos antes.

Duas lendas da Cultura Física:
 
Pudgy Stockton e John Grimek
Após a guerra, o levantamento de peso e o fisiculturismo tiveram um aumento na popularidade de ambos os lados do Atlântico. No entanto, foi na América que esses esportes realmente começaram a se desenvolver. Levantadores de peso americanos começaram a dominar quebrando alguns recordes mundiais. Nessa época o fisiculturismo moderno emergiu no cenário das praias da Califórnia e literalmente decolou em popularidade por todo o resto da América.

As razões pelas quais os americanos progrediram tanto nos esportes de força no período pós Segunda Guerra são muitas. Em primeiro lugar, era onde as pessoas tinham tempo e dinheiro para gastar em atividades de lazer, enquanto a Europa estava reconstruindo suas cidades devastadas para retornar ao ritmo de vida anterior. O racionamento permaneceu na Inglaterra até durante a década de 1950, e estas condições eram muito similares na maior parte da Europa. A América, por outro lado, encontrava-se entrando em um período de oportunidades sem precedentes e otimismo durante o início dos anos 1950.

Um homem revolucionou o halterofilismo em todas as suas vertentes: John Grimek. Bem sucedido como levantador de peso e como fisiculturista durante este período, John Grimek ainda hoje é considerado “o espécime humano mais perfeito”. Uma lenda nos esportes de peso, a enorme diversidade e alto padrão de suas conquistas e habilidades fizeram Grimek  merecer este título. Até então, o padrão físico era o de Johnny Weissmüller (que representou Tarzan em vários filmes) como sendo o corpo masculino ideal na década de 1930. Grimek surgiu para mudar o conceito de corpo ideal.
Johnny  Weissmüller - até a década de 1930
era uma das referências de  físico atlético
John Grimek mudou os padrões
 de vigor físico e atlético






















John Carl Grimek nasceu em 17 de junho de 1910, em Perth, Nova Jersey. Quando jovem foi um grande atleta, mas foi seu irmão que pegou primeiro nos pesos. Quando seu irmão saiu de casa, Grimek decidiu fazer uso de todos os equipamentos deixados pelo irmão. Mais tarde passou a frequentar um ginásio e começou seu caminho para se tornar um dos melhores do mundo. Durante sua juventude ficou mais forte a um ritmo incrível, tanto que chamou a atenção de Bob Hoffman, grande treinador e dono da York Barbell. Em 1935 Grimek começou uma longa associação com Bob Hoffman, que na época também era o técnico da seleção de levantamento de peso.

Na edição de Maio de 1936 da revista Strength & Health, saiu um artigo interessante com Grimek, chamando-o "Super Star da Força", descrevendo como Grimek levantou o famoso Halter de Rolandow, que pesava  95 kg e tinha um diâmetro da barra de cerca de 5 cm, o que dificultava muito ser levantado. Esta façanha foi realizada em 16 de Fevereiro de 1936 no ginásio de Siegmund Klein na cidade de Nova Iorque (que funcionou por quase 50 anos no endereço 717 - 7th Ave., N.Y.C., NY) e lá Grimek levantou  o halter de Rolandow acima da cabeça em sua primeira tentativa (fez a proeza executando um "bent press").
 Ginásio de Sig Klein, onde Grimek levantou o Halter de Rolandow em Fevereiro de 1936



Grimek aos vinte e poucos
anos fazendo o Harness Lift

Em  27 de Maio de 1934, Grimek havia batido o recorde norteamericano do Military Press (Desenvolvimento estrito) fazendo 110 kg com um peso corporal de 85 kg. Vale entender que este exercício é executado estritamente sem balanço ou qualquer movimento para “roubar”. Grimek também era um excelente acrobata e executava paradas de mãos, habilidade que demonstrava em qualquer ocasião e tinha uma flexibilidade invejável. Sua força também continuou a aumentar nos anos seguintes.

Em 1936, ele tinha as seguintes marcas nos exercícios:
  • Desenvolvimento Militar: 115 kg
  • Arranco: 100 kg
  • Arremesso: 135 kg
  • Rosca Direta: 80 kg
  • 10 reps. consecutivas de Levantamento Terra: 190 kg
  • Desenvolvimento Militar com a mão direita: 60 kg
  • Arranco com uma mão: 80 kg
  • Arremesso com uma mão: 87,5 kg
  • Desenvolvimento Alternado: 52,5 kg em cada mão.

Estas marcas são bastante surpreendentes para a época, e anos mais tarde ele mesmo ultrapassou cada uma destas marcas por uma margem significativa. 
Grimek com outro peso histórico: o Halteres de Louis Cyr
Em 1936, Grimek fez parte da equipe olímpica dos Estados Unidos e competiu nos Jogos Olímpicos de Berlim onde ficou em sétimo lugar. Em 1938 ficou em segundo lugar no Campeonato Americano de Levantamento de Peso e no mesmo ano foi quarto lugar no Campeonato Mundial em Viena, Áustria. Em 1940, recorde norteamericano no Desenvolvimento com 129 kg. Mais tarde naquele mesmo ano, participou e venceu a competição de Mr. América.

No início de sua carreira, Grimek trabalhou como modelo e viajou por diferentes universidades como Yale e Princeton. Em Princeton conheceu Albert Einstein, os dois tornaram-se amigos e muitas vezes faziam longas caminhadas juntos. Em 1941, Grimek continuou treinando e ganhou o título de Mr. América novamente. Os organizadores perceberam que Grimek continuaria a ganhar este título ano após ano, então surgiu uma regra após sua segunda vitória, estipulando que o título só poderia ser ganho uma vez. Em 1948, venceu a primeira competição de Mr. Universo, realizada em Londres, Inglaterra.
Provando que Músculos Desenvolvidos
combinam perfeitamente com Flexibilidade













Grimek era um excelente atleta e provou que o homem poderia ser um bom levantador de peso e ter uma boa aparência física. Também era um homem de família dedicado e já tinha seis filhos no momento em que ganhou o título de Mr. Universo. Em seu auge, ele percorreu o mundo, incluindo Europa, Havaí e todos os Estados Unidos. Ninguém era mais famoso nos pesos do que John Grimek.
Seus métodos de treinamento quando publicados eram amplamente seguidos. Ele dizia para treinar mais como um levantador de peso do que como um fisiculturista, favorecendo os movimentos básicos pesados ao invés de séries leves de bombeamento. Como resultado, ele era capaz de fazer 135 kg de desenvolvimento a qualquer momento, e com um curto período de treino, ele poderia chegar a 170 kg neste exercício.

No seu auge, seu peso corporal variava entre 81 a 104 kg e suas medidas variavam proporcionalmente. Quando ele estava mais pesado, o diâmetro de seus braços era de 46 centímetros, tórax de 127 cm e coxas de 74 cm.

Mesmo quando já havia chegado aos seus 70 anos, Grimek ainda executava 10 repetições de agachamentos com 180 kg e frequentemente aumentava para pesos significativamente maiores. Sempre manteve sua grande força, e com 75 anos ainda era capaz de executar agachamentos parciais com mais de 250 kg.

John Grimek dizia que sobre a função da cultura física era:
"construir saúde e desenvolver o temperamento."

Escreveu sobre treinamento com pesos até seus 80 anos e morreu em 1998, aos 88 anos.

Como o primeiro fisiculturista moderno, ele provou que treinando com pesos ganha-se não apenas quantidades enormes de força física, mas também pode-se ter saúde abundante, agilidade e capacidade atlética geral.

Além das dezenas de capas de revista, a enorme quantidade de artigos dele ou falando sobre ele, John Grimek obteve os seguintes títulos no fisiculturismo:
·                    1939 York Perfect Man
·                    1940 Mr. America
·                    1941 Mr. America
·                    1946 Most Muscular Man In America
·                    1948 Mr. Universe Short & Overall
·                    1949 Mr. USA  
                                                                  
                                                                         Jorge Califrer 

terça-feira, 19 de março de 2013

John Davis


John Davis (12 de Janeiro de 1921 – 13 de Julho de 1984)

No ano de 1937, John Davis, um menino negro de 16 anos do Brooklyn, ganhou uma moeda por ter conseguido levantar do chão até acima da cabeça uma laje de concreto de cerca de 56 kg, enquanto outro garoto mal conseguia tirar do chão a mesma laje. Este é o início da história de John Davis com o levantamento de peso, e a moeda que ele ganhou nesta sua “primeira competição” foi o único dinheiro que ganhou em toda a sua carreira no levantamento de peso. A façanha de levantar a laje o levou a conhecer um rapaz na vizinhança que tinha um conjunto de barra e anilhas. Steve Wolsky era halterofilista amador e o convidou para treinar, e ao ver o equipamento,  Davis começou a fazer alguns exercícios e neste primeiro dia mesmo fez logo um “primeiro contato”, executanto um desenvolvimento completo com 77 kg – praticamente seu peso corporal na época. Chegando em casa, contou à sua mãe que seu novo amigo, Steve, disse nunca ter visto alguém levantar tanto peso no primeiro dia de treino.

 John não era mais um dos milhares de jovens negros em New York City, lutando para se manter fora de encrenca na rua e ficar longe da cadeia. Ele encontrou-se, descobrindo uma atividade onde teria a chance de se tornar verdadeiramente notável. Contra todas as probabilidades, o início de Davis e sua ascensão ao topo foi talvez a mais rápida na história do levantamento de peso, e era apenas o começo.

Duas semanas após fazer 17 anos, Davis ganhou seu primeiro campeonato de levantamento de peso, somando nos três movimentos um total de 335 kg. Seu Desenvolvimento foi 102,5, Arranco 105  e Arremesso 127,5. Ele pesava 82,8 um pouco acima do limite da categoria meio-pesado. Em 4 de março de 1938, ganhou o Campeonato Júnior em New York City na categoria até 82,5 kg, tornando-se o levantador mais jovem (até então) a fazer mais de 135 kg de Arremesso: neste dia, ele fez 140 kg.

Menos de um ano depois de ter começado a treinar com pesos, sem a orientação de um treinador, torna-se um dos melhores levantadores dos Estados Unidos. No Campeonato Nacional Júnior (aberto a qualquer pessoa que não tivesse ganho um campeonato sênior), realizado em 15 de maio de 1938, em Cleveland, Ohio, Davis venceu a categoria meio pesado (que era até 82,5 kg) levantando 110 - 112,5 - 147,5. Naquele mesmo ano, Davis ficou em segundo lugar no Campeonato Nacional senior em Woonsocket, Rhode Island vencendo o famoso John Grimek, mas perdendo por 2,5 kg para o tetracampeão norteamericano dos médios Stanley Kratkowski, que venceu fazendo um arremesso de 150 kg. Em uma revanche entre os três levantadores, Kratkowski perdeu e Grimek venceu Davis por 7,5 kg no Arremesso, fazendo 147,5 de Arremesso. O total de 377,5 de Grimek foi o maior do mundo naquele ano para a categoria meio pesado.

Com Davis a apenas 7,5 quilos atrás do total de Grimek, ambos foram escolhidos para o Campeonato Mundial em Viena, Áustria. Esperava-se que os dois fossem se classificar em primeiro e segundo lugares. Mas Grimek ficou em quarto lugar. Davis, no entanto, surpreendeu a todos tomando o primeiro lugar com um recorde mundial de 387,5 no total, fazendo 117.5 de Desenvolvimento, 120 de Arranco e 150 de Arremesso.
Com apenas dezessete anos, John Davis, ainda não era campeão sênior no seu próprio país, teve de superar as adversidades de uma viagem marítima sem local para treinamento a bordo do navio e se torna campeão mundial em solo europeu. Foi uma realização notável. Ele era o mais jovem campeão mundial na história, o terceiro americano campeão do mundo e o primeiro negro a ganhar o Campeonato Mundial de levantamento de peso. Ser negro fez seu sucesso mais abrangente, afinal era a América de 1938.

Até então Davis tinha obtido resultados satisfatórios sem fazer agachamentos e estava inclinado a duvidar de seus méritos. Também Bob Hoffman naquela época era totalmente contra o uso do agachamento, mas após o Campeonato Mundial de 1938, foi percebido que poderia usar mais potência de perna pela eficiência incomparável do agachamento. É o exercício principal para todos os levantadores e nunca deve ser negligenciado. Sem agachar, as chances de alcançar bons resultados ficam restritas.
Davis trabalhava todos os três levantamentos com quantidades iguais de atividade. Às vezes até cem repetições executadas em séries de cinco com pesos pesados em um programa de treino intenso, com pesos acima de 180 kg. Esta prática fez a potência muscular crescer, junto com um ganho de 5 cm de diâmetro das coxas. Em uma apresentação em 1942 executou   "agachamentos com saltos" (“jumping squats”) com 180 kg. Este intenso programa facilitou a execução do primeiro tempo com 180 kg. Nesta época, Davis executava três repetições de agachamento com 250 kg, oito com 240 e dez com 230 com um peso corporal de 88 kg.

Davis nunca dormiu num quarto de hotel, nem uma única vez durante toda a sua carreira nos Estados Unidos. Na Europa, sim. Mas nos Estados Unidos, dormiria no caminhão, ficava com amigos ou, se o funcionário do hotel gentilmente deixasse, dormiria em uma cadeira no lobby. Mas não em um quarto.

Era o mesmo para encontrar um lugar para comer. Às vezes o único lugar para comer que estava aberto não aceitava negros. A questão de raça impediu Davis de treinar no ginásio da York Barbell Company, em York, Pensilvânia, centro do levantamento de peso dos Estados Unidos na época. Muitos eram abertamente hostis com levantadores pretos, e alguns mesmo reclamavam que não iriam dividir os mesmos halteres e outros equipamentos com eles. Surpreendentemente, o racismo ficou ainda pior depois que Davis venceu o Campeonato Mundial.

Um dia, John estava treinando no ginásio da York e alguém — ele nunca soube quem — jogou uma anilha nele enquanto ele estava treinando. Ele se recusou a treinar lá novamente. Bob Hoffman, treinador da equipe de levantamento de peso dos EUA, arranjou para Davis treinar na YMCA da Filadélfia, outro local de levantamento de peso, perto da York. Hoffman também pagou sua taxa de matrícula em uma escola privada e enviava-lhe uma pequena quantia semanal para as despesas.

Devido à Segunda Guerra Mundial, dois Jogos Olímpicos e cinco campeonatos do mundo foram cancelados durante o que seria o auge da sua carreira competitiva no levantamento.

Aos 19 anos, ele totalizou 450 kg enquanto pesava 89 kg. Seu total também foi maior do que qualquer um tinha levantado. Ele também foi o primeiro homem a totalizar 454 kg (1000 libras) não oficialmente, Steve Stanko foi o primeiro a totalizar as 1000 libras oficialmente. Em 24 de maio de 1941, duas semanas depois de Stanko fazer este recorde, Davis derrotou Stanko e Louis Abele ganhando seu primeiro campeonato nacional Senior como peso pesado. Davis totalizou 456 kg (1005 libras), um novo recorde mundial. Abele, pesando 99, ficou em segundo lugar com um total de 442,5. Stanko pesava 101 e ficou em terceiro lugar, com 440. Foi uma batalha de Titãs, mas Davis foi o vencedor.
Davis também ganhou o campeonato de seniores em 1942. Mostrando o efeito dos anos de guerra, seu peso caiu para 87 kg menos quase 5 kg que o ano anterior, ele fez 137,5-125-160, para um total de 422,5. Não foi seu melhor desempenho, mas o suficiente para vencer por uma margem confortável. Ele também ganhou em 1943, com 132,5-132,5-162,5, para um total de 427,5. Foi excelente para um homem que praticamente não teve oportunidade de treinamento regular. Davis tinha sido convocado no início daquele ano, mas conseguiu dez dias livres antes do campeonato para dedicar poucos dias ao treinamento sério. Depois disso, tudo parou para Davis. Ele não foi aos nacionais de seniores de 1944 e 1945, não havia nenhum campeonato mundial e o último foi em 1938. Jogos Olímpicos de 1940 e 1944 também foram cancelados.

Os que seriam seus melhores anos, sem treinos e sem competições. As probabilidades são que Davis teria ganho cinco campeonatos mundiais e duas medalhas de ouro olímpicas durante estes anos perdidos. Após o final da II Guerra, foi marcado o Campeonato Mundial de 1946 em Paris. Bob Hoffman, o treinador de levantamento de peso dos EUA, teve que lutar para selecionar uma equipe em pouco tempo.

Davis estava morando no Brooklyn com sua mãe. Com apenas algumas semanas de treinamento, Davis entrou como um extra no Campeonato Sênior de New York City. Pesando 94 kg, ele fez 117,5 de Desenvolvimento, 120 de Arranco e 157,5 de Arremesso para um total de 395, muito abaixo do seu melhor. Algumas semanas mais tarde, entrou no campeonato nacional senior em Detroit. Davis estava sem dinheiro e não tinha nenhum emprego. Hoffman pagou suas despesas para ele fazer a viagem para Detroit. Hoffman fez o mesmo para outros 21 levantadores. Com três semanas mais de treino e a comida caseira da mãe, Davis já pesava 97 e aumentou o seu total para 415, fazendo 127,5 – 127,5 - 160. Foi uma melhoria substancial sobre sua competição anterior e Davis venceu por uma margem de 40 kg.

O Mundial de 1946
Steve Stanko e Louis Abele já não estavam mais competindo. Na verdade, Davis e John Terpak eram os únicos que ainda estavam competindo do grupo que foi ao mundial de 1938. Seria formada uma nova equipe para ir a Paris.  Hoffman via na Rússia e no Egito como número um e número dois do mundo, com os EUA em terceiro. Hoffman pensava no entanto, que a equipe dos EUA teria uma chance para ganhar o título. Na visão de Hoffman, o título mundial de 1946 dependeria de Davis vencer dois russos. O peso pesado de número um na Rússia era Kutsenko, mais alto seis centímetros e 12 kg mais pesado, que havia totalizado 415 no início do ano. O outro russo, Ambarzumian, era ainda maior e mais musculoso pesando 122 kg e seu total era de 432,5 kg. Como Hoffman havia previsto, era uma luta de pesos pesados: Davis contra os dois russos. A competição da categoria de pesos-pesados começou à 01:00 da madrugada e a plateia estava lotada, ninguém na multidão deixou seus lugares. O grande russo, Ambarzumian, começou o Desenvolvimento com 115 kg e depois 120 kg, com sucesso. Kutsenko iniciou com este mesmo peso e, em seguida fez 125 kg.

Davis ainda não tinha começado e estava descansando tranquilamente na sala de aquecimento, esperando ser chamado para começar. Ao longo dos anos, John desenvolveu um poder de concentração a um nível nunca visto, sendo capaz de deitar-se e realmente adormecer no meio de um Campeonato Mundial ou Olimpíada e, em seguida levantar, esticar-se, expulsar o sono fora e ir para a plataforma, transformando-se instantaneamente em uma máquina imbatível. Ninguém nunca viu nada igual.

Desta vez, John não estava dormindo, só deitou com os olhos fechados e descansou para reunir a sua força. O melhor Desenvolvimento de John antes de deixar Nova York tinha sido 125 kg e em Paris foi 130 kg. Ele decidiu começar com 127,5 kg. Quando o peso foi montado para sua pedida, ele se levantou, se esticou e bocejou, caminhou para a área de competição, passou magnésio nas mãos e pisou na plataforma. Fechou os olhos por alguns segundos, concentrado em sua força e em seguida aproximou-se da barra e executou um Desenvolvimento perfeito. Kutsenko então tentou 130 kg e errou. Davis pediu 135 para sua segunda tentativa e acertou. Ele perdeu 137,5 kg em sua terceira tentativa, mas tinha uma vantagem de 10 kg e era o homem mais leve em caso de desempate. Os russos aparentemente nunca se recuperaram do choque de ver um homem que, poucos momentos antes estava deitado, quase dormindo, executar o Desenvolvimento aparentemente sem esforço. Os russos simplesmente ficaram abalados com isso.


Depois a competição foi basicamente entre Davis e Kutsenko. Kutsenko começou o Arranco com 125 kg e  precisou de duas tentativas para fazê-lo. Davis iniciou com 127,5 kg e conseguiu facilmente. Hoffman escreveu mais tarde: “Davis preparou-se para colocar tudo o que tinha neste levantamento. Ele se posicionou, colocou as costas retas, abaixou os quadris e puxou alto e firme. O peso foi tão alto que ele só precisou abaixar um pouco. Foi um grande levantamento.” Depois disso, só ficou melhor. Kutsenko tentou 130 kg e perdeu, o que o deixou com 125 kg. O recorde mundial oficial no Arranco era de 135, realizado por Ron Walker da Grã-Bretanha. Steve Stanko e John Davis já tinham realizado tantas vezes 135 kg em apresentações, campeonatos e exposições pelos Estados Unidos, mas os resultados norteamericanos nunca foram oficializados. Davis queria ter certeza de quebrar o recorde de Walker, então pediu 135 kg para igualar o recorde e conseguiu. Isto o deixou 20 kg à frente de Kutsenko.

Davis em seguida pede 137,5 kg, que seria a primeira vez que alguém iria tentar um Arranco com mais de 135 em solo europeu. Hoffman escreveu: “eram 3:30 da madrugada, uma hora cruel para tentar um recorde.” No entanto, Davis fez um Arranco sem espaço para qualquer dúvida recebendo três luzes brancas, um novo recorde mundial oficial. Na pesagem oficial (havia uma pesagem da barra para aferir os recordes), a balança marcou até mais: 137,7. O primeiro recorde mundial americano após a guerra.

No Arremesso, Davis perde a primeira tentativa de 162,5 kg e acerta a segunda. Kutsenko faz 165 kg, mas já era tarde para ele. Davis ganhou de 435 a 415 de Kutsenko. Foi um dos melhores dias e Bob Hoffman feliz como um menino em uma loja de doces, abraçado ao troféu. Ele gastou US$20.000 do seu próprio bolso para enviar a equipe norteamericana para a Europa.

Davis continuou sua série de vitórias por mais sete anos, até 1953, sendo a mais longa série de vitórias na história do levantamento de peso em nível internacional. Ele é o único levantador a conquistar Campeonato Mundial ou Olimpíada em três décadas (de 1930, 1940 e 1950).
Olimpíadas 1948: 1º Davis (USA), 2º Schemanskiy(USA), 3º Abraham Charite (Holanda)


Em 13 de setembro de 1949, na França, John Davis fez com sucesso um Arremesso com o Eixo de Apollon - rodas de trem fixas a um eixo de 49mm de diâmetro que pertenceram ao strongman Apollon (Louis Uni 1862-1928). Davis conseguiu em sua quarta tentativa pública levantar esta massa inflexível de ferro. O conjunto pesava 166,5 kg, e o diâmetro da barra é quase o mesmo da parte da manga da barra olímpica onde ficam as anilhas. As rodas são fixas, nada gira. Extremamente velho e enferrujado e um pouco torto, o eixo entortou ainda mais depois que Davis caiu várias vezes. Antes das suas quatro tentativas públicas, Davis tentou levantar as rodas cinco vezes e falhou. Para levantar, John usou a pegada invertida usada no deadlift (uma mão em pronação e a outra em supinação) para sua tentativa bem sucedida. Davis realmente teve que soltar a mão esquerda do eixo durante o primeiro tempo e, em seguida, refazer a pegada na barra antes dela pousar em seu peito. Este foi um feito incrível, além da força necessária para realizá-lo. Veja o vídeo:



John Davis foi o primeiro amador a fazer 180kg no Arremesso e o primeiro a fazê-lo em um conjunto de barra e anilhas olímpicas.

Um dos três a ganhar seis campeonatos mundiais e duas medalhas de ouro olímpicas. Outros são: Vasily Alexeyev da União Soviética e Tommy Kono do Havaí.

John competiu pelo York Barbell Club em York, na Pensilvânia mas sempre treinou em sua cidade, New York.

Nunca foi a favor de tentativas de máximo semanalmente nos treinos  por não sentir que o corpo humano possa chegar ao pico produtivo muitas vezes seguidas. Testava seus máximos apenas uma vez por mês, após descansar bem na noite anterior e aquecer-se completamente, como se estivesse em uma competição. Após o aquecimento, fazia apenas três tentativas em cada levantamento como se fosse em uma competição real e só tentava uma quarta tentativa tentando quebrar um recorde pessoal.

Treinava por conta própria, de uma hora e meia a duas horas, normalmente quatro a cinco dias por semana. Nenhuma dieta especial, apenas uma refeição ordinária simples e saudável. Nunca comia nada antes de uma competição, a última vez que comia normalmente era a refeição do meio dia antes do concurso. Quanto ao sono, dormia normalmente cerca de dez horas por dia.

John Davis era um fumante inveterado, fumava um maço e meio de cigarros diariamente durante a maior parte de seus 63 anos. Davis comentava que esta era sua recompensa: câncer de cérebro, ossos, pulmões e pâncreas e um grave caso de enfisema.

Algumas dicas e comentários de John Davis, em jornais e revistas:

I. Utilize os fundamentos básicos no trabalho a ser realizado.
2.Experimentação. Mude a rotina ao atingir um ponto intransponível.
3.Dedicar suas energias, principalmente e exclusivamente para o levantamento
   com o qual você está preocupado em melhorar.”

Primeiras pedidas de competição
“Nos treinos, tentava minhas pedidas iniciais pelo menos 4 ou 5 vezes em condições diferentes: Um dia sem aquecimento, outro dia depois de um treino e outras vezes sob as condições mais impossíveis. Desta forma podia ter certeza de que a primeira pedida não dependeria de nada especial para ser executada.”

Aquecimento
“Trabalhar muito o aquecimento é um erro que eu vejo levantadores fazerem muitas vezes. Assim, quando fazem suas primeiras tentativas e parecem difíceis, não entendem o porquê. Em vez de simplesmente aquecer, eles deixam seus melhores levantamentos no aquecimento. O aquecimento é para que o sangue circule através do corpo e é especialmente importante para evitar rompimentos de músculos, tecidos e tendões.”

Treino
“Não há nenhum segredo para treinar qualquer levantamento. Basta um pouco de paciência, um pouco de imaginação e acima de tudo uma boa dose de suor com o peso mais pesado que você puder levantar.”

Mãos pequenas mas  muito fortes. 
Davis fazendo um "pinch grip" 
com duas anilhas de 15 kg
Split x Squat
“Eu usei o Arranco em split a maior parte da minha carreira, tentei em squat com um certo grau de sucesso e passei cerca de três meses aperfeiçoando o Arranco em squat. Para mim a técnica em split é superior, eu nunca me senti confortável executando o squat. Eu não sou totalmente contra, mas gostaria de sugerir que qualquer pessoa deve antes decidir sobre qual técnica utilizar.”

Pegada na barra (as mãos de Davis eram muito pequenas: 18cm x 9cm)
“Meus dedos curtos impediram-me de fazer a pegada em hook. Meu melhor Arranco - 150 kg e 182,5 kg de Arremesso foram feitos sem a pegada em hook e nos Desenvolvimentos e Arremessos eu usava a pegada aberta com os polegares atrás da barra.”

Deadlifts
“Nunca fui de treinar deadlifts. Nunca fui a favor do Levantamento Terra junto com o treinamento de levantamento olímpico. Mesmo assim, eu era capaz de fazer 320 kg no Levantamento Terra sem qualquer preparação.”

Um excelente livro contando 
mais sobre a história de John Davis:
BLACK IRON: The John Davis Story -  
 Brooks Kubik

Resultados em Olimpíadas (duas medalhas de ouro) - Resultados dos três levantamentos em que se competia na época, em ordem - Desenvolvimento, Arranco e Arremesso:

1948:   137.5+137.5+177.5 = 452.5
1952:   150  + 145   + 165  =  460

Em 1979 Davis teve a casa saqueada por ladrões e suas medalhas olímpicas foram roubadas. Por sorte, algum tempo depois foram encontradas.

Resultados e totais em Mundiais (consecutivos, os anos que não aparecem não foram realizados):
1938:    1º              117.5+120   +150   = 387.5
1946:    1º              135   +137.5+162.5= 435
1947:    1º              140   +140   +175   = 455
1949:    1º              137.5+140   +165   = 442.5
1950:    1º              145   +147.5+170   = 462.5
1951:    1º              142.5+130   +160   = 432.5
1953:    2º              155   +135   +167.5= 457.5

"John Davis se manteve invicto no levantamento de peso de 1938 a 1953 sendo o detentor da mais longa série de vitórias consecutivas na história do levantamento de peso da elite internacional." - 
Bill Hinbern, historiador de treinamento de peso.

“John Davis, mais do que qualquer outro, definiu para mim o padrão para que eu seguisse no levantamento de peso.” - palavras de Tommy Kono, duas vezes campeão Olímpico e seis vezes campeão mundial.

                                                                                                              Jorge Califrer

quinta-feira, 14 de março de 2013

Pense: O Que Você Toma Para Treinar?




O texto abaixo foi inspirado nas respostas à pesquisa que colocamos aqui - "O que você toma para treinar?"

Não é todo dia que você compra barras e anilhas, mas todo dia você tem que se alimentar, correto?

Nos Estados Unidos, o primeiro fabricante de barras e anilhas em grande quantidade foi a Milo Barbell, de Alan Calvert. Os conjuntos vinham com um manual de instruções de exercícios.
Quando a Milo foi à falência em 29 de Abril de 1935, o industrial Bob Hoffman, dono da fábrica de aquecedores York, comprou a marca e lançou a York Barbell. O manual de instruções da Milo foi atualizado e continuou a acompanhar os conjuntos de pesos.
Bob Hoffman tem o mérito de popularizar o halterofilismo em geral, em todas as suas vertentes – o levantamento olímpico, a modelagem física e o que depois vieram a ser conhecidos como levantamento básico e as provas de strongman - mas percebeu que os pesos tem uma durabilidade quase eterna, e é importante ganhar dinheiro regularmente com estes fiéis clientes dos ferros. 


                                               

Qual a melhor forma de continuar a ganhar dinheiro dos clientes dos pesos, então? Hoffman já editava uma revista mensal com assuntos e fotos que estimulavam a prática dos exercícios e que também serviria para anunciar sua próxima jogada comercial mais inteligente, que foi lançar uma  linha completa de produtos para suplementar a alimentação comum. Começando com um concentrado de proteína de soja, barrinha de cereais coberta com chocolate, depois, produtos para treinar, para recuperação rápida, ganho de massa muscular, queimador de gordura etc. enfim, um universo completo pela frente.

Bob Hoffman é um dos ídolos do halterofilismo em geral, mas não foi o primeiro a lançar uma linha de suplementos há mais de 50 anos atrás. Afinal de contas, a farinha láctea criada pelo sr. Henry Nestlé pode ser considerada um suplemento. 

Eugene Sandow, considerado o precursor da cultura física, há 100 anos já comercializava alguns produtos, dentre eles, o chocolate com seu nome, que não fez grande sucesso. 
Eugene Sandow
teve uma fábrica que produzia o próprio chocolate
Eugene Sandow (1867-1925)


Os irmãos Weider, que revolucionaram a onda do fisiculturismo, também entraram na onda dos suplementos, mostrando grandes modificações nos garotos-propaganda que todo mundo queria copiar.

Até chegarmos à atualidade. Fazer comida passou a ser uma tarefa trabalhosa e muitas vezes sem cabimento no dia a dia de muitos. O ritual da alimentação passou a ser esquecido. Ritual? Sim, assim como outros rituais do dia a dia, como os hábitos de higiene e das necessidades fisiológicas. Você abandonaria também estes outros rituais diários que compõem um dia saudável? Existem vários estudos médicos apresentando os resultados fantásticos de alguns suplementos fáceis de serem transportados, mas ninguém pergunta quem paga as pesquisas e os médicos que indicam estas maravilhas.
Ótima iniciativa, que gerou uma corrida às vitaminas e aos suplementos que continua até hoje. Mas outras coisas aconteceram. Para vender bem, tem que anunciar bem, e anunciar um produto é convencer a pessoa da necessidade daquele produto.

As propagandas começaram a convencer os clientes de que sem aqueles suplementos pouco ou nada iria acontecer, se simplesmente a pessoa comesse nas refeições e treinasse. O suplemento passou a ser condição fundamental para a obtenção de algum resultado, e de função “suplementar” passou a ser “prato principal”.
Produto com nome sugestivo de "Maltos-Cannabis": "Não tem patente médica, um nutritivo alimento curativo", 
E parece que resolvia vários problemas, entre eles: anemia, dispepsia, indigestão, scrofula (um tipo de tuberculose) e era indicado para pessoas nervosas, crianças fracas e convalescentes, como pode ser lido na embalagem deste "suplemento de época", que é de 1890!!! 
Hoje podemos notar alguma semelhança com o que temos no mercado de suplementação, com boa propaganda, nome e embalagem super atraente que, muitas vezes, estimula a compra por impulso sem ao menos ter informações sobre a real necessidade. 
______________________________________________________________________________ 
Continuando, a condição física de todos passou a ter, através de artigos e propagandas: limitação genética, tamanho ou estrutura inadequada de ossos, desvantagens hereditárias etc., todo mundo ficou rebaixado ao mínimo possível, mas tudo isso seria resolvido se comprados e utilizados determinados tipos de suplementos e produtos que nem se sabe direito o que tem na fórmula ou qual o ingrediente fantasma que não está descrito.

Pergunto: São maravilhas e fórmulas mágicas potencializadas de uma forma que nenhum alimento pode igualar em resultados. Então se é assim que funciona, se um sujeito estiver fazendo 100kg de agachamento a fundo, ele pode parar de frequentar o ginásio por alguns dias e voltar aos treinos fazendo 150 kg de agachamento, só por conta de seus maravilhosos *“suplementos e aminoácidos de baixa fermentação e olor estimulante do sistema parassimpático composto por hidrolisados turboextrusados com pré-treino revitalizador de baixo teor de oximoronadenosinóide e aabc com suporte de fgv alfa-glico-oligopeptídeos padronizados”*?
(*Termos reais e inventados colocados aleatoriamente para ilustrar mais ou menos o que se vê em alguns anúncios e rótulos). 

Não quero criticar quem usa ou o que se usa, faça do seu dinheiro o que quiser, mas poderia também, como exemplo, investir na indústria pecuária bovina, suína e avícola, comprando bastante carne, leite, bacon e ovos. Chegando em casa, preparando e comendo! Usem as mandíbulas e os músculos da mastigação, assim não tem perigo de ficar com um queixinho de cristal.


 
Faça o seguinte: experimente treinar por um determinado período sem este ou aquele produto. Não seja tendencioso e veja se fez diferença. Talvez nos primeiros dias o ato automático e mecânico de tomar alguma coisa antes, durante ou depois, faça com que você sinta certa necessidade ou falta, mas deixe passar alguns dias para a rotina determinar imparcialmente se aquilo era realmente necessário. Faça isso com cada um dos seus suplementos ou produtos. Sei que a abstinência de alguns produtos vai produzir uma certa ansiedade, mas acredite em você.




Uma coisa é ponto pacífico: Só existe resultado positivo e progressivo se você:

  • se alimentar
  • treinar
  • repousar o suficiente para haver uma restauração orgânica positiva
  • treinar
  • se esforçar nos treinos
  • treinar
  • sempre mantendo o foco
  • treinar
Mas se alguém tentar convencê-lo que você, mesmo com todo o treino do mundo, não vai evoluir se não for na base do produto, acredite EM VOCÊ e que você é capaz lembrando-se da frase:
"A Tudo posso Naquele que me fortalece" -
                                                          Jorge Califrer 









As marcas, nomes e imagens foram aqui citados apenas para ilustrar uma história, sem  intenção comercial ou de denegrir marcas ou pessoas. Os respectivos donos das marcas citadas podem solicitar que suas imagens sejam retiradas da matéria. 
                                                      Jorge Califrer 

sábado, 9 de março de 2013

Gennady Ivanchenko

 

Soviético nascido em 1946, Gennady Ivanchenko é uma lenda do levantamento de peso de uma época em que os atletas eram limitados pela idade, pelas lesões, pela política e por muitos outros fatores. Ivanchenko foi o primeiro da categoria até 82,5 kg a quebrar o recorde de 500 kg no total dos 3 levantamentos (até 01 de Janeiro de 1973 os levantamentos olímpicos eram 3: Desenvolvimento, Arranco e Arremesso). Ivanchenko ganhou torneios nacionais e internacionais e quebrou recordes mundiais. Com a eliminação do Desenvolvimento, seu recorde de 178.5 kg obtido em 1972 ficou predestinado a ser o definitivo na categoria de 82,5 kg.
Ivanchenko executava o Desenvolvimento
de forma estritamente ereta, da forma como
era executado em outras épocas, conhecido
como Military Press
PARA COMPARAR: Tentativa de Valery Yakubovski (cat. 110kg) tentando 206,5 kg, mas não finalizou o movimento. Repare no tronco quase em paralelo ao chão. Posteriormente seu  recorde foi 210 kg. (Kono photo)

Começou a treinar com kettlebell aos 16 anos. Em um ano de treino, ainda Júnior, ganhou o Campeonato Sênior do distrito de Smolensk. Pesando 67 kg, embora não oficialmente, bateu o recorde de mestre dos esportes. Seus primeiros resultados foram: Desenvolvimento com a mão direita com 32 kg x 38 repetições e 32 kg x 35 repetições com a mão esquerda. O Arranco ele podia executar infinitamente, até 50 vezes - até a mão ficar encharcada de suor. Quanto ao Arremesso com duas mãos, era mais difícil, pois dois kettlebells juntos somavam 64 kg e, pesando 67 kg, executava 13 – 14 repetições no Arremesso.
Depois começou a treinar com um eixo de picape pesando cerca de 50 kg, erguendo-o acima da cabeça com uma mão. Com dois kettlebells de 32 kg  eram feitos desenvolvimentos por 4 repetições. Tanques de oxigênio e barris também serviam como equipamento de treino. Levantava dois tanques de oxigênio de 90 kg de um caminhão e apostava em quanto tempo faria determinada distância.

Aos 17 anos foi para Riga estudar na escola naval. Ao chegar foi logo ver as instalações esportivas. O treinador o viu e perguntou se praticava algum esporte e se já havia tentado fazer levantamento de peso. Ivanchenko disse-lhe que levantava kettlebells e eixo de picape, mas nunca havia visto uma barra de levantamento olímpico. Apresentado ao equipamento de levantamento olímpico, começou a fazer Desenvolvimentos. De repente, todos os atletas pararam para ver o novato fazer um Desenvolvimento com 100 kg. Em seguida, fez um primeiro tempo com 105 kg, mas não conseguiu levantar sobre a cabeça, pois já naquela época Ivanchenko executava o desenvolvimento militar, que é estritamente sem roubar. O treinador disse a ele que o peso que ele havia feito era o recorde Júnior da União Soviética. A partir daí começou a levantar pesos no clube Dynamo de Riga. Nos primeiros campeonatos, os resultados já eram de atleta classe A Junior Nacional da União Soviética na categoria de 67,5 kg. A técnica ainda era rústica, mas rapidamente evoluiu. 
Puxadas eram executadas infinitamente
por Ivanchenko. (Kono photo)

O mais desagradável foi constatar que, devido ao histórico de ter treinado com kettlebell, seus músculos estavam muito encurtados. Como as mãos eram fortes, o peso era levantado principalmente pela força do bíceps. Então foi feito um trabalho muito longo de flexibilidade para alongar a musculatura.

Dentro da rotina também eram executados vários tipos de saltos e na pista de atletismo em corridas com obstáculos na distância de 60 metros, onde eram executadas cerca de 10 passagens. Uma vez fizeram uma aposta com um corredor candidato a mestre dos esportes. Quem seria mais rápido, o corredor em 100 metros rasos ou Ivanchenko em 60 metros com barreiras? Adivinhe quem venceu? Estes exercícios desenvolveram em Ivanchenko a explosão e a coordenação necessárias para o levantamento de peso.                                                   
Impressionante musculatura de Ivanchenko,
que resultou no apelido de "Robot" (Kono photo)
Volumes de treino não eram suficientes e o treinador costumava expulsar Ivanchenko da sala de treino. As séries de puxadas, por exemplo, eram intermináveis. 

QUINHENTOS
Em Vilnius, Lithuania, 24 de abril de 1970, Gennady Ivanchenko mostrou um resultado fenomenal: Desenvolvimento 165 + Arranco 150 + Arremesso 185 e tornou-se o primeiro da categoria de 82,5 kg a fazer um total de 500 kg. Foi realmente um momento histórico. David Rigert também veio a Vilnius chegar a 500 kg, mas só atingiu a soma de 495 kg no total.
David Rigert, que também tentava ser o
primeiro na categoria 82,5 a fazer 500kg.
Ivanchenko foi o primeiro a conseguir
 o total de 500kg e depois do Mundial
de 1970, Rigert subiu para a categoria
 de 90kg com grande sucesso e recordes.













   Campeonato Mundial de 1970, Columbus, Ohio
Seu desempenho no Mundial de 1970 foi inesquecível. Depois de ganhar a medalha de ouro, toda a gente falou sobre o fenômeno Ivanchenko. O principal adversário era David Rigert, que estava muito nervoso. Seu peso corporal era maior que o de Ivanchenko, que tinha que perder 2-2,5 kg com dieta. David teve que perder muito mais peso fazendo sauna. Adicione a isso toda a excitação em torno do campeonato e seu forte desejo de ganhar, tudo acabou em um terceiro lugar para ele. Rigert perdeu duas tentativas no Arremesso e todos estavam torcendo para ele conseguir. Na terceira pedida, fez o primeiro tempo e quase não subiu. Com muita coragem ele levantou, em seguida arremessou e, depois de perseguir o peso por toda a plataforma, conseguiu finalmente equilibrá-lo. Quanto a Ivanchenko, acertou todas as tentativas e bateu dois recordes mundiais. Seu total foi de 505 kg.

 
Ivanchenko sempre gostou de fisiculturismo e sempre acreditou na ideia de que o levantador de peso podia apresentar um físico bonito. Em Columbus teve a sorte de conhecer vários ginásios e academias e conseguir autógrafos de John Grimek e Larry Scott.

Após o campeonato, o famoso Rudolph Plukfelder, treinador de David Rigert, viu que os resultados de Rigert iriam parar se ele não subisse para a próxima categoria de peso - a de 90 kg. Como resultado ele alcançou enorme sucesso e 60 recordes mundiais. No geral, esta era a categoria perfeita para David Rigert.

Os últimos campeonatos de Ivanchenko foram em 1979, já na categoria de 90 kg. Depois trabalhou como treinador e vez ou outra dava orientações aos interessados em levantamento de peso.

No Desenvolvimento eu fiz 178.5 kg. No Arranco, meu recorde pessoal foi 156 kg na categoria de 82,5 kg. Competi na categoria de 90 kg no final da minha carreira e alcancei resultados de mestre dos esportes de classe internacional. No Arremesso eu fiz 217 kg em treino e 212 kg em competições.”

“Quanto ao meu movimento favorito, eu tenho que dizer que nossa geração era universal, multidisciplinar. Mas, no geral, foi o Desenvolvimento porque eu tinha uma grande eficiência no movimento. Se eu arriscasse ou fizesse truques, eu teria aumentado os recordes até 190 kg. Eu não fiz isso por causa da lesão vertebral, eu era um atleta de força estrita. Fiz um desenvolvimento com um kettlebell de 32 kg com uma outra em cima dela.”


 “Você pode treinar muito e mostrar nada na competição, assim como você pode treinar pouco e mostrar muito na competição. Há uma linha tênue que é muito individual.”

“Todo mundo quer obter resultados rápidos. Eu estava prestes a terminar a minha carreira como levantador e via os jovens atletas. Eles não treinam como nós treinamos, não dão nenhuma atenção ao processo do treinamento. Aquele que já está levantando ou prestes a começar a envolver-se neste esporte, tem que pegar um objetivo e segui-lo com trabalho duro e persistência, assim terá um resultado muito positivo. Nem todo mundo pode se tornar um campeão, mas todo mundo pode se tornar forte e ter um corpo atlético treinando duro e com persistência.”- Gennady Ivanchenko




                                                                                                                   
                                                                                          Jorge Califrer